Dica Do Tuguinho

Evita repetir sempre a mesma palavra, pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida.

- Tuguinho

… um Linux user:

Senta-se junto ao seu PC, ajeita um pinguim junto ao monitor a quem chama carinhosamente Tuxinho, carrega no power e poucos segundos depois depara-se com a primeira indecisão do dia: “Qual o ambiente de trabalho que vou usar hoje?….” Lá se decide por um e segundos depois, fica com o poder de controlar o mundo em frente dos seus dedos. Abre o browser e vê as notícias do dia, recebe o mail sem que os anexos sejam bloqueados por um qualquer programa de pseudo-proteção e recebe um aviso de que o sistema tem updates novos. Verifica quais são as novidades e com dois cliques, uma password e uns segundos depois, tem todo o sistema e demais programas actualizados. Brinca um pouco com os novos efeitos do Compiz e resolve escaranfunchar num ficheiro de configuração dum programa instalado no dia anterior. Dá um giro até aos newsgroups da Microsoft onde são abordadas as dúvidas e os problemas dos utilizadores do Vista, para que possa dar várias gargalhadas e começar o dia bem disposto. Passa noutro newsgroup sobre Linux e tenta ajudar a resolver algumas dúvidas colocadas lá.

Uma hora depois e após ter instalado uns dez programas, testados os mesmo e removidos outros tantos, faz uma pausa e aprecia a velocidade com que o seu PC continua a ter após o ter ligado essa manhã.

Já durante a tarde resolveu mudar todo o visual do seu Linux mudando de ambiente, e com o Gimp criou uns wallpapers novos baseados no seu sistema operativo. Testou mais uns programas de software livre, recusou-se a instalar programas proprietários como o Nero e muito menos porcarias de sharewares. Aproveitou e ainda construiu um logo sobre o Ubuntu para mais tarde estampar numa T-shirt para si.
Por fim testou alguns LiveCds com Linux, verificou o software incluso neles, a qualidade do acabamento dessas distribuições, a sua velocidade e utilidade, e escreveu sobre elas no seu blogue. Aproveitou enquanto navegava e traduziu dois programas da sua distro para a sua língua, como contributo para o software livre. Descarregou uns mp3 e oggs para a sua biblioteca pessoal e colocou alguns no seu “Mp3″ sem DRM para ouvir mais tarde.

Ao fim do dia e sem nunca ter feito um reboot, altera ainda o Grub para que no dia seguinte tenha um arranque diferente no seu poderoso PC. Agradece ao Linus por ter inventado o Linux, faz uma carícia ao seu Tuxinho e deixa-se ficar a ver o seu GNU/Linux a encerrar mostrando todas aquelas linhas de comando no ecrã. Sente-se feliz por usar um verdadeiro sistema operativo livre e gratuito, realmente seguro e estável, bem como fiável.
“Obrigado a todos os hackers!”, foi o seu ultimo pensamento quando o PC se desligou finalmente.

… um Windows user:

Senta-se junto ao PC e reza baixinho a Deus pedindo-lhe que o seu mais que tudo Vista arranque. E já agora que arranque bem. Carrega no power e poucos minutos depois o seu Uáu pirateado arrancou bem. A demora no arranque foi pouca graças aos vários Gigas de RAM colocados à poucos dias. Abre o Msn e começa o seu trabalho. Estranha que se abra sem mais nem menos uma página no seu IE7 sobre massagens na Amadora, mas acaba por acreditar que são coisas enviadas da Microsoft pois essa empresa só pensa no bem dos seus utilizadores. Recebe um aviso do Java que tem um update novo e após aceitar tudo sem olhar, recebe o aviso que precisa de fazer reboot. Reboot e minutos depois tem o sistema de novo a funcionar, com outra página aberta sobre massagens noutra localidade do País. O antivírus começa a fazer o scan diário ao sistema, o que significa que na próxima meia hora o computador estará ocupado e indisponível para trabalhar com ele.

Uma hora depois, tenta abrir o Word do seu Office pirateado e nota que o arranque do mesmo bem como de qualquer outro programa, se arrastam tipo lesmas com preguiça. Vai novo reboot. No arranque ligeiramente mais comprido, nota que apareceu mais uma barra no seu IE e a navegação parece-lhe mais lenta. Resolve desfragmentar o disco, passar o antivírus de novo, fazer outro scan online, e por fim passar um adware no PC. Entretanto cria um novo artigo no seu blogue louvando o Steve Ballmer e os maravilhosos programas da Microsoft, recomenda tambem o uso dum novo antivírus por ser melhor que o Norton e similares.

Já durante a tarde e ainda sem ter conseguido fazer quase nada alem de fazer scans ao PC e ter trocado de antivírus, passa por um fórum de entreajuda tentando saber porque diabo já tinha tido três BSOD neste dia no seu maravilhoso e superestável Vista. Como resposta é lhe sugerido que faça novos scans ao PC e um reboot higiénico no fim. Entreteve-se também a instalar alguns jogos com os respectivos cracks. Quis comentar no seu blogue sobre esses jogos mas o seu IE7 recusava-se a navegar, insistindo em levá-lo para um site onde aparentemente lhe fazia outro scan ao PC e lhe jurava que tinha viroses. Optou por usar o Firefox mas alterando a identificação dele para Internet Explorer para que ninguém soubesse que usava essas porcarias do open source. Aproveitou para tentar fazer um windows update mas foi informado que tinha um Vista pirateado e não havia nada ninguém. Procura outro crack para o seu sistema operativo rogando pragas ao Ballmer por lhe fazer essas sacanices, mas quanto a pagar pela licença, isso é que está fora de questão! Aproveita para falar mal da escumalha do pinguim e dos queques da Apple pelo seu Msn cheio de publicidade enquanto veste uma T-shirt com uma imagem do Zune e descarrega uns mp3 da mula para o seu iPod Nano.

No fim do dia, após mais seis reboots, duas desfragmentações de disco intercaladas com outro BSOD, congratula-se por usar o suprasumo dos sistemas operativos, muito melhor que o XP e o 98. Com um sorriso na cara pensa na genealidade que teve o Bill Gates ao ter inventado os computadores e a internet, além de ter criado um sistema operativo tão seguro e estável como o que utilizou hoje.
“Obrigado Tio Bill!”, foi o seu ultimo pensamento ao desligar o PC.

… um Apple boy:

Senta-se junto ao seu Mac, agradece ao Steve Jobs a felicidade de ter uma caixinha com a maçã dentada gravada, e passa delicadamente uma pele de camurça sobre todo o seu belo Mac. Abre-o com muito jeitinho para que não tenha nenhum orgasmo antes do tempo e aciona o power. E eis o primeiro orgasmo assim que o Leopard arranca. Deixa-se ficar quieto contemplando aquele maravilhoso desktop e louvando Steve Jobs por ter inventado aquele sistema operativo, tal como os computadores, a internet e o próprio Universo. Após alguns minutos abre o iTunes e aluga umas músicas mesmo sem gostar delas, só para dar algum dinheiro mais à Apple. Abre o Safari e percorre alguns sites de outros seguidores da mesma seita, à caça de mais rumores sobre o estado de saúde do seu mais que tudo Steve, dos novos iPhones inventados por ele ou dos novos aspectos dos iPods. Não encontrando rumores, inventa um e lança-o no seu blogue.

Uma hora depois passa por um fórum de Mac users e mete uns posts a ameaçarem um tipo que teve a audácia de criticar um portátil Mac por ter baterias de merda. Escreve outra entrada no seu blogue sobre o seu iPhone e da sua nova capacidade de copiar texto entre aplicações!

Já durante a tarde entreteve-se a colar um poster do Steve Jobs na parede em frente ao seu Mac, que por coincidência combinava bem com a sua T-shirt onde tem gravado a cara do Steve a usar um iPhone. Volta para a net e procura por mais rumores de possíveis lançamentos de hardware e software da Apple. Pelo sim pelo não, compra mais software como bom Appleboy que é, mesmo sem precisar dele e tendo outros de borla. Recusa-se a usar um programa de P2P para puxar mais uns mp3, optando por comprar mais umas musicas pelo iTunes para poder ouvir no seu super-ultra-mega iPhone. Entretem-se a ver uns fiminhos da série “I’m a Mac, I’m a PC” só para se rir da cara do gajo que personaliza o Windows. Mais um giro pela net para descobrir que houve um aumento na venda de Macs e outros produtos da Apple, ficando ainda mais inchado e contente com o aumento dos lucros dessa empresa como se ganhasse algo com isso.

No fim do dia ao desligar o seu Mac, congratulou-se por usar o melhor portátil do mundo com o melhor software do mundo e tudo criado pelo seu Deus Steve Jobs, criticando os tipos do Nobel por ainda não lhe terem entregue o merecido prémio. Após ter desligado o Mac e o ter fechado com o máximo cuidado, teve um último orgasmo ao voltar a limpá-lo com uma delicada pele de camurça.
“Obrigado, Steve!”, foi o seu ultimo pensamento enquanto fumava satisfeito um cigarro…

Há Cenas Lixadas!

  • Partilhar

Sou o criador do LibertyTuga e também um rapazinho de 24 anos, iniciante em web-development e web-design. Podes me seguir no Twitter ou entrar em contacto comigo no msn ou por email.

Com um total de 940 posts.

Comenta com força que é de graça!